Minha nova colega, Chelsea, que dispensou o salário de repórter de TV (Reuters)

LUCIANA COELHO, de WASHINGTON

Pai ex-presidente, mãe chanceler/ex-senadora, filha jornalista. Chelsea Clinton, a discreta filha de Bill e Hillary, é a mais nova contratada da NBC, anunciou a rede de TV americana hoje. A ideia é que ela funcione como uma "correspondente especial", fazendo reportagens no estilo gente-que-faz dentro e fora do país.

Chelsea, que se formou em Relações Internacionais e fez mestrado em Saúde Pública, trabalhava na Fundação Clinton _onde, aliás, ela deve continuar atuando paralelamente ao trabalho na NBC. Antes, ela passou por uma consultoria financeira, a McKinsey.

Resguardada pelos pais durante toda a adolescência, a ex-primeira-filha vem assumindo um papel público mais proeminente nos últimos três anos. Na campanha da mãe pela candidatura democrata à Presidência, em 2008, ela chegou a conduzir alguns eventos, levantando especulações de que poderia, eventualmente, entrar para a política.

Por ora, Chelsea parece ter escolhido a mídia. Mas isso não descarta a política, já que nos últimos anos se tornou relativamente comum programas estrelados por políticos, e o noticiário não deixa de ser uma forma de torná-la mais conhecida do público, dissociando-a da imagem de menina desengonçada dos anos de Casa Branca (1993-2001).

Segundo a NBC, que é um dos três grandes canais abertos dos EUA, ela deve participar do noticiário noturno da emissora e também no programa semanal noticioso do âncora Brian Williams.

O presidente da emissora, Steve Capus, disse ter escolhido Chelsea por sua "vasta experiência", que, a seu ver, faz parecer que ela "se preparou a vida toda" para o emprego.

A Clinton mais nova não falou sobre o novo emprego. Segundo a mídia americana, porém, ela vai trabalhar por prazer (ou por outros interesses): seu salário (não revelado) será doado ao hospital da Universidade George Washington e à Fundação Clinton, que lida com questões de acesso à saúde pelo mundo.